motoactv coupon Nest Thermostat Discount Fitbit Coupon Bose Soundlink Coupon jawbone coupon Medialink wireless N router cheap roku 2 xs Bowflex Selecttech 552 discount p90x cheap bowflex selecttech 552 best price cleaning microfiber cleaning

Marcelo Grassmann

OBRAS DO ARTISTA

 

Marcelo Grassmann 8252

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BIOGRAFIA

 

Marcelo GrassmannMarcelo Grassmann (São Simão SP 1925 – São Paulo SP 2013)

Gravador, desenhista, ilustrador e professor.

 

Estuda fundição, mecânica e entalhe em madeira na Escola Profissional Masculina do Brás, em São Paulo, entre 1939 e 1942. Passa a realizar xilogravuras a partir de 1943. Atua como ilustrador do Suplemento Literário do Diário de São Paulo, entre 1947 e 1948, e do jornal O Estado de S. Paulo, em 1948. Reside no Rio de Janeiro a partir de 1949, atuando como ilustrador do Jornal do Estado da Guanabara. Freqüenta, no Liceu de Artes e Ofícios, os cursos de gravura em metal, com Henrique Oswald (1918 – 1965), e de litografia, com Poty (1924 – 1998). Em 1952, reside em Salvador, onde trabalha com Mario Cravo Júnior (1923). Recebe, em 1953, o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Arte Moderna – SNAM, e viaja para Viena, onde estuda na Academia de Artes Aplicadas. Passa a dedicar-se principalmente ao desenho, à litografia e à gravura em metal. Em 1969, sua obra completa é adquirida pelo governo do Estado de São Paulo, passando a integrar o acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo – Pesp. Em 1978, a casa em que nasceu, em São Simão, é transformada em museu, por iniciativa da Secretaria de Cultura, Ciência e Tecnologia de São Paulo, e tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo – Condephaat no mesmo ano. Entre 1991 e 1992, Grassmann é bolsista da Fundação Vitae, em São Paulo.

COMENTÁRIO CRÍTICO

No início de sua carreira destaca-se o contato com a obra de Oswaldo Goeldi (1895 – 1961) e também com a de Lívio Abramo (1903 – 1992). Nas primeiras xilogravuras estão presentes arabescos e pontilhados obtidos por meio da madeira de topo. Em 1949, realiza a série Cavaleiros Noturnos, com figuras militares em negro, recortadas sobre fundo branco. Posteriormente, surge em sua temática a presença de figuras fantásticas, como sereias, harpias (monstros fabulosos com rosto de mulher e corpo de ave), pequenos demônios, cavalos, peixes, seres em parte humanos e em parte animais, relacionados a um universo mágico. Passa a utilizar a litogravura, na qual seu desenho se revela mais fluente.

Para a crítica Aracy Amaral, após uma obra de caráter mais ligado ao expressionismo, no início da carreira, Grassmann passa a explorar o universo mítico e fantástico. O artista recorre freqüentemente a motivos ligados ao imaginário medieval e renascentista. Ao longo de sua carreira, interessa-se por história da arte e mitologia. Como aponta o artista, sua obra tem como referências os seres criados pelo pintor Hieronymus Bosch (ca.1450 – 1516) e a obra de Alfred Kubin (1877 – 1959), com quem tem contato por ocasião de sua estada em Viena.

O artista alia uma simbologia gráfica extremamente rica a uma técnica muito pessoal e refinada. Para Lívio Abramo “Entre o complexo mundo interior do artista e a realização plástica o caminho é curto: complicados arabescos, estranhas simbioses de seres humanos e animais, metamorfoses reveladoras de desejos e angústias, sentido poético e grande liberdade formal …”. Um dos gravadores brasileiros mais respeitados, Marcelo Grassmann revela-se profundo conhecedor dos meios e técnicas gráficas.

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

1946 – Rio de Janeiro RJ – Primeira individual
1950 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Enba
1952 – Rio de Janeiro RJ – Individual, no MEC
1955 – Viena (Áustria) – Individual, na Galeria Würthle
1957 – Buenos Aires (Argentina) – Individual, na Galeria Viscontea
1959 – Dallas (Estados Unidos) – Individual, no Museum of Fine Arts
1959 – Washington (Estados Unidos) – Individual, na Pan American Union Gallery
1960 – Milão (Itália) – Individual, no Centro Culturale San Fedele
1960 – Montevidéu (Uruguai) – Individual, no Instituto de Cultura Uruguayo-Brasileño
1960 – São Paulo SP – Individual, na Galeria São Luís
1960 – Washington (Estados Unidos) – Individual, na Pan American Union Gallery
1962 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Petite Galerie
1963 – Milão (Itália) – Individual, na Galeria Sthendal
1963 – São Paulo SP – Individual, na Seta Galeria de Arte
1964 – Argel (Argélia) – Individual, na Salle Ibn Khaldoun
1964 – Buenos Aires (Argentina) – Individual, na Galeria Lascaux
1964 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Petite Galerie
1964 – Washington (Estados Unidos) – Individual, no Brazilian-American Cultural Institute
1965 – Cidade do México (México) – Individual, no Museo Nacional de Bellas Artes
1966 – São Paulo SP – Individual, na Galeria 4 Planetas
1966 – São Paulo SP – Individual, na Galeria Cosme Velho
1967 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Santa Rosa
1968 – Paris (França) – Marcelo Grassmann, na Galerie Debret
1969 – Cidade do México (México) – Individual, na Galeria Merk-Cup
1969 – São Paulo SP – Marcelo Grassmann: 25 anos de gravura, no MAM/SP
1970 – Rio de Janeiro RJ – Marcelo Grassmann: 25 anos de gravura, no MAM/RJ
1970 – Rio de Janeiro RJ – Marcelo Grassmann: retrospectiva, no MAM/SP
1971 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Atualidade Galeria de Arte Oscar Seraphico
1972 – Roma (Itália) – Individual, na Galeria d’Arte Casa do Brasil
1973 – Barcelona (Espanha) – Individual, na Galeria Camarotes Granados
1973 – Brasília DF – Individual, na Oscar Seraphico Galeria de Arte
1974 – Assunção (Paraguai) – Individual, na Galeria da Missão Cultural Brasileira
1974 – Nova Délhi (Índia) – Individual, na Chanakiya Gallery
1975 – Ancara (Turquia) – Individual, no Instituto de Estudos Franceses
1975 – Santos SP – Individual, no CCBEU
1976 – Brasília DF – Individual, na Oscar Seraphico Galeria de Arte
1976 – São José do Rio Pardo SP – Marcelo Grassmann: gravuras
1976 – São Paulo SP – Marcelo Grassmann: gravuras, na Galeria Cosme Velho
1976 – São Paulo SP – Marcelo Grassmann: gravuras, na Pinacoteca do Estado
1976 – São Paulo SP – Individual, na Empresa Folha da Manhã Ltda
1977 – Belo Horizonte MG – Individual, na Escola Guignard
1977 – Curitiba PR – Individual, no Museu Guido Viaro
1977 – Porto Alegre RS – Individual, na Oficina de Arte
1978 – Olinda PE – Individual, no Museu de Arte Sacra
1978 – São Paulo SP – Marcelo Grassmann: desenhos, na Grifo Galeria de Arte
1980 – Porto Alegre RS – Individual, na Galeria Guignard
1981 – Curitiba PR – Individual, na Fundação Cultural de Curitiba
1982 – Brasília DF – Individual, no Banco Central do Brasil
1982 – Porto Alegre RS – Individual, na Bolsa de Arte de Porto Alegre
1982 – Ribeirão Preto SP – Individual, na Galeria Jardim Contemporâneo
1983 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Realidade Galeria de Arte
1984 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Realidade Galeria de Arte
1984 – São Paulo SP – Individual, na Associação Paulista do Ministério Público
1984 – São Paulo SP – Marcelo Grassmann: 40 anos de gravura, na Pinacoteca do Estado
1984 – São Paulo SP – Marcelo Grassmann: desenhos, na Grifo Galeria de Arte
1985 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Realidade Galeria de Arte
1986 – Porto Alegre RS – Individual, no Kraft Escritório de Arte
1988 – São Paulo SP – Marcelo Grassmann: desenhos, na Galeria Montesanti Roesler
1989 – Paris (França) – Individual, no Musée d’Art Modérne et Contemporain
1990 – Curitiba PR – Individual, na Simões de Assis Galeria de Arte
1990 – Curitiba PR – Marcelo Grassmann: desenhos inéditos e gravuras, na Fundação Cultural de Curitiba
1990 – São Paulo SP – Marcelo Grassmann: o espaço do artista quando jovem, no Paço das Artes
1991 – São Paulo SP – Individual, na Galeria Steiner
1992 – São Paulo SP – Marcelo Grassmann: gravuras e desenhos, no Museu Banespa
1995 – São Paulo SP – Marcelo Grassmann: 70 anos, no Masp
1995 – São Paulo SP – O Mundo Mágico de Marcelo Grassmann: 70 anos do artista, na Arte Aplicada I – Galeria
1996 – São Paulo SP – Marcelo Grassmann: gravador: 1944/1954, na Pinacoteca do Estado
1999 – Curitiba PR – Marcelo Grassmann: artista do mês, no Museu Alfredo Andersen
2000 – Porto Alegre RS – Individual, na Garagem de Arte
2002 – São Paulo SP – Emanações do Inconsciente, na Nóbrega Antiquário e Galeria de Arte
2002 – São Paulo SP – Individual, no Espaço Augusta 664

EXPOSIÇÕES COLETIVAS

1946 – Rio de Janeiro RJ – Quatro Novíssimos, no IAB/RJ
1946 – Valparaíso (Chile) – Exposição de Pintura Contemporânea Brasileira, no Instituto de Extensão de Artes Plásticas
1947 – São Paulo SP – 19 Pintores, na Galeria Prestes Maia
1947 – São Paulo SP – Aquarelas e Guaches, na Biblioteca Municipal Mário de Andrade
1950 – Rio de Janeiro RJ – 56º Salão Nacional Belas Artes, no MNBA – medalha de prata
1950 – Veneza (Itália) – 25ª Bienal de Veneza
1951 – Rio de Janeiro RJ – 57º Salão Nacional de Arte Moderna, no MNBA – medalha de ouro
1951 – São Paulo SP – 1ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão do Trianon – prêmio aquisição
1951 – São Paulo SP – 1º Salão Paulista de Belas Artes – prêmio viagem ao exterior
1952 – Feira de Santana BA – 1ª Exposição de Arte Moderna de Feira de Santana, no Banco Econômico
1952 – Paris (França) – 38º Salão de Maio
1952 – Rio de Janeiro RJ – 1º Salão Nacional de Arte Moderna, na Enba – prêmio viagem ao exterior
1952 – Santiago (Chile) – Pintura, Desenho e Gravura do Brasil Contemporâneo
1952 – São Paulo SP – 2º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia
1953 – São Paulo SP – 2ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão dos Estados
1954 – Berna (Suíça) – Gravure Brésilienne, no Kunstmuseum
1954 – Goiânia GO – Exposição do Congresso Nacional de Intelectuais
1954 – São Paulo SP – Arte Contemporânea: exposição do acervo do Museu de Arte Moderna de São Paulo, no MAM/SP
1955 – Rio de Janeiro RJ – 4º Salão de Nacional Arte Moderna
1955 – São Paulo SP – 3ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão das Nações – melhor gravador nacional
1955 – Viena (Áustria) – Marcelo Grassmann e Max Ernst, na Galeria Würthle
1956 – Genebra (Suíça) – Exposição Internacional de Gravadores em Madeira
1956 – Veneza (Itália) – 28ª Bienal de Veneza
1956 – Zurique (Suíça) – 2ª Xylon
1957 – Montevidéu (Uruguai) – Grabados Brasileños, no Instituto Cultural Uruguayo-Brasileño
1957 – São Paulo SP – 4ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão Ciccilo Matarazzo Sobrinho – melhor desenhista nacional
1957 – São Paulo SP – 6º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia – grande medalha de ouro e Prêmio Governador do Estado
1958 – São Paulo SP – 47 Artistas, na Galeria de Arte das Folhas
1958 – São Paulo SP – 7º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia
1958 – São Paulo SP – 23º Salão Paulista de Belas Artes
1958 – Veneza (Itália) – 29ª Bienal de Veneza – prêmio de arte sacra
1959 – Leverkusen (Alemanha) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1959 – Munique (Alemanha) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa, na Kunsthaus
1959 – Paris (França) – 1ª Bienal de Paris – prêmio em desenho
1959 – Paris (França) – 1ª Bienal dos Jovens
1959 – Rio de Janeiro RJ – 30 Anos de Arte Brasileira, na Galeria Macunaíma
1959 – São Paulo SP – 5ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão Ciccilo Matarazzo Sobrinho – grande prêmio nacional em desenho
1959 – Viena (Áustria) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1960 – Hamburgo (Alemanha) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1960 – Jerusalém (Israel) – 12 Artistas Brasileiros, no Bezalel Museum Jerusalen
1960 – Lisboa (Portugal) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1960 – Madri (Espanha) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1960 – Paris (França) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1960 – Rio de Janeiro RJ – Oswaldo Goeldi e Marcelo Grassmann, na Galeria Bonino
1960 – São Paulo SP – Coleção Leirner, na Galeria de Arte das Folhas
1960 – Utrecht (Holanda) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1961 – São Paulo SP – 6ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão Ciccilo Matarazzo Sobrinho
1961 – São Paulo SP – Marcelo Grassmann e Francisco Stockinger, na Galeria São Luís
1961 – Tóquio (Japão) – 6ª Bienal de Tóquio
1962 – Rio de Janeiro RJ – Marcelo Grassmann e Francisco Stockinger, na Petite Galerie
1962 – São Paulo SP – Marcelo Grassmann, Eduardo Sued, Oswaldo Goeldi e Darel, na Galeria Residência
1962 – São Paulo SP – Seleção de Obras de Arte Brasileira da Coleção Ernesto Wolf, no MAM/SP
1962 – Veneza (Itália) – 31ª Bienal de Veneza
1963 – Rio de Janeiro RJ – 1º Salão de Arte do Jornal do Brasil, no MAM/RJ
1963 – São Paulo SP – Marcelo Grassmann e Darel, na Seta Galeria de Arte
1964 – Ribeirão Preto SP – 1ª Exposição da Jovem Gravura Nacional
1964 – Rio de Janeiro RJ – O Nu na Arte Contemporânea, na Galeria Ibeu Copacabana
1964 – São Paulo SP – 1ª Exposição da Jovem Gravura Nacional, no MAC/USP
1965 – Belo Horizonte MG – 1ª Exposição da Jovem Gravura Nacional, no MAP
1965 – Curitiba PR – 1ª Exposição da Jovem Gravura Nacional, na Secretaria do Estado de Educação
1965 – Viena (Áustria) – Arte Brasileira Atual
1965 – Bonn (Alemanha) – Arte Brasileira Atual
1965 – Londres (Reino Unido) – Brazilian Art Today, na Royal Academy of Arts
1966 – Belo Horizonte MG – 21º Salão de Belas Artes da Cidade de Belo Horizonte, no MAP
1966 – Filadélfia (Estados Unidos) – Gravadores Brasileiros Contemporâneos, na Cornell University
1966 – Ribeirão Preto SP – 40 Gravuras Nacionais e Estrangeiras do Acervo do MAC, na Escola de Artes Plásticas de Ribeirão Preto
1966 – Rio de Janeiro RJ – Auto-Retratos, na Galeria Ibeu Copacabana
1966 – Rio de Janeiro RJ – O Artista e a Máquina, no MAM/RJ
1966 – Salvador BA – 1ª Bienal Nacional de Artes Plásticas
1966 – São Paulo SP – 2ª Exposição da Jovem Gravura Nacional, no MAC/USP
1966 – São Paulo SP – 40 Gravuras Nacionais e Estrangeiras do Acervo do MAC, no MAC/USP
1966 – São Paulo SP – O Artista e a Máquina, no Masp
1967 – São Paulo SP – 9ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal – prêmio aquisição
1968 – Piracicaba SP – 40 Gravuras: nacionais e estrangeiras, na Esalq
1968 – Rio de Janeiro RJ – 6º Salão de Arte do Jornal do Brasil, no MAM/RJ
1968 – São Paulo SP – 19 Pintores, na Tema Galeria de Arte
1969 – Rio de Janeiro RJ – 18º Salão Nacional de Arte Moderna
1969 – São Paulo SP – 10ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1969 – São Paulo SP – 1º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1969 – São Paulo SP – 25 anos de Gravura, no MAM/SP
1970 – Olinda PE – 40 Gravuras Nacionais e Estrangeiras do Acervo do MAC, no MAC/Olinda
1970 – Penápolis SP – 40 Gravuras Nacionais e Estrangeiras do Acervo do MAC
1970 – Rio de Janeiro RJ – 25 anos de Gravura, no MAM/RJ
1971 – Rio de Janeiro RJ – 9º Resumo de Arte JB, no MAM/RJ
1971 – São Paulo SP – 3º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1972 – Florença (Itália) – 3ª Biennalle Internazionale della Gráfica d’Arte, no Palácio Strozzi – medalha de ouro
1972 – São Paulo SP – 2ª Exposição Internacional de Gravura, no MAM/SP
1972 – São Paulo SP – Arte/Brasil/Hoje: 50 anos depois, na Galeria da Collectio
1973 – Belo Horizonte MG – 1º Salão Global de Inverno, na Palácio das Artes
1973 – Blumenau SC – 6ª Coletiva de Artes Plásticas Barriga-Verde
1974 – Madri (Espanha) – Arte Gráfica Hoje, na Direção Geral de Belas Artes
1974 – Nova York (Estados Unidos) – Gravuras Latino-Americanas do Museu de Arte Moderna, no The Center for Inter-American Relations
1974 – Rio de Janeiro RJ – Goeldi-Grassmann-Messias, na Bolsa de Arte do Rio de Janeiro
1974 – São Paulo SP – José Luiz Cuevas e Marcelo Grassmann, na Galeria Múltipla de Arte
1975 – Alabama (Estados Unidos) – Festival de Arte do Alabama – sala especial
1975 – Bruxelas (Bélgica) – Quatro Gravadores Brasileiros
1975 – Penápolis SP – 1º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1975 – Porto Alegre RS – Coletiva, na Galeria Sharp
1976 – Penápolis SP – 2º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1976 – Rio de Janeiro RJ – Gravura Brasileira
1976 – São Paulo SP – O Desenho Jovem dos Anos 40, na Pinacoteca do Estado
1977 – Belo Horizonte MG – 5º Salão Global de Inverno, na Fundação Palácio das Artes
1977 – Brasília DF – 5º Salão Global de Inverno, na Fundação Cultural do Distrito Federal
1977 – Milão (Itália) – Gravura e Escultura Brasileira, no Centro Rizzoli
1977 – Rio de Janeiro RJ – 5º Salão Global de Inverno, no MNBA
1977 – São Paulo SP – 5º Salão Global de Inverno, no Masp
1977 – São Paulo SP – Aspectos da Gravura em Metal, na Pinacoteca do Estado
1977 – São Paulo SP – Os Grupos: a década de 40, no Museu Lasar Segall
1977 – São Paulo SP – 5º Salão Global de Inverno, no Masp
1978 – Curitiba PR – 1ª Mostra Anual de Gravura Cidade de Curitiba, no Centro de Criatividade
1978 – Penápolis SP – 3º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1978 – São Paulo SP – 19 Pintores, no MAM/SP
1978 – São Paulo SP – A Arte e seus Processos: o papel como suporte, na Pinacoteca do Estado
1978 – São Paulo SP – Aspectos da Litografia na Coleção da Pinacoteca, na Pinacoteca do Estado
1979 – São Bernardo do Campo SP – Os Maiores Gravadores Brasileiros, no Paço Municipal
1979 – São Paulo SP – 15ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1980 – Curitiba PR – 2ª Mostra do Desenho Brasileiro, no Teatro Guaíra
1980 – Penápolis SP – 4º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1980 – Rio de Janeiro RJ – Homenagem a Mário Pedrosa, na Galeria Jean Boghici
1981 – Belo Horizonte MG – Destaques Hilton de Gravura, no Palácio das Artes
1981 – Brasília DF – Destaques Hilton de Gravura, na ECT Galeria de Arte
1981 – Curitiba PR – Destaques Hilton de Gravura, na Casa da Gravura Solar do Barão
1981 – Florianópolis SC – Destaques Hilton de Gravura, no Masc
1981 – Porto Alegre RS – Destaques Hilton de Gravura, no Margs
1981 – Recife PE – Destaques Hilton de Gravura, no MAM/PE
1981 – Rio de Janeiro RJ – Destaques Hilton de Gravura, no MAM/RJ
1981 – Salvador BA – Destaques Hilton de Gravura, no Teatro Castro Alves
1981 – São Paulo SP – Destaques Hilton de Gravura, no MAM/SP
1982 – Belo Horizonte MG – Coletiva, no Palácio das Artes
1982 – Penápolis SP – 5º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1982 – São Paulo SP – Do Modernismo à Bienal, no MAM/SP
1982 – São Paulo SP – Seis Gravadores Expressionistas do Brasil: Segall, Goeldi, Abramo, Renina, Poty, Grassmann, no Museu Lasar Segall
1983 – Olinda PE – 2ª Exposição da Coleção Abelardo Rodrigues de Artes Plásticas, no MAC/Olinda
1983 – Rio de Janeiro RJ – 6º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1983 – Rio de Janeiro RJ – Coletiva, na Galeria Cesar Aché
1983 – São Paulo SP – 14º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1984 – Curitiba PR – 6ª Mostra de Gravura Cidade de Curitiba. A Xilogravura na História da Arte Brasileira, na Casa Romário Martins
1984 – Curitiba PR – Três Visionários, na Simões de Assis Galeria de Arte
1984 – Porto Alegre RS – Gravuras: uma trajetória no tempo, na Cambona Centro de Artes
1984 – Ribeirão Preto SP – Gravadores Brasileiros Anos 50/60, na Galeria Campus-USP
1984 – Rio de Janeiro RJ – A Xilogravura na História da Arte Brasileira, na Funarte. Galeria Sérgio Milliet
1984 – São Paulo SP – 15º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1984 – São Paulo SP – A Cor e o Desenho do Brasil, no MAM/SP
1984 – São Paulo SP – Coleção Gilberto Chateaubriand: retrato e auto-retrato da arte brasileira, no MAM/SP
1984 – São Paulo SP – Tradição e Ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras, na Fundação Bienal
1985 – Penápolis SP – 6º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1985 – Rio de Janeiro RJ – Encontros, na Petite Galeria
1985 – São Paulo SP – 100 Obras Itaú, na Masp
1985 – São Paulo SP – 18ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1985 – São Paulo SP – A Arte do Imaginário, na Galeria Encontro das Artes
1985 – São Paulo SP – Destaques da Arte Contemporânea Brasileira, no MAM/SP
1986 – Curitiba PR – 7º Acervo do Museu Nacional da Gravura – Casa da Gravura, no Museu Guido Viaro
1987 – Campinas SP – 1ª Bienal Internacional de Gravura, no MACC
1987 – Rio de Janeiro RJ – Ao Colecionador: homenagem a Gilberto Chateaubriand , no MAM/RJ
1987 – São Paulo SP – 18º Panorama da Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1987 – São Paulo SP – As Bienais no Acervo do MAC: 1951 a 1985, no MAC/USP
1987 – São Paulo SP – 20ª Exposição de Arte Contemporânea (20. : 1987 : São Paulo, SP) – Chapel Art Show (São Paulo, SP)
1988 – Curitiba PR – 8ª Mostra de Gravura Cidade de Curitiba, na Casa Romário Martins
1988 – Nova York (Estados Unidos) – The Latin American Spirit: art and artists in the United States: 1920-1970, no The Bronx Museum of the Arts
1988 – São Paulo SP – MAC 25 anos: destaques da coleção inicial, no MAC/USP
1988 – São Paulo SP – Os Ritmos e as Formas: arte brasileira contemporânea, no Sesc Pompéia
1989 – Copenhague (Dinamarca) – Os Ritmos e as Formas: arte brasileira contemporânea, no Museu Charlottenborg
1989 – Copenhague (Dinamarca) – Os Ritmos e as Formas: arte brasileira contemporânea (1989 : Copenhague, Dinamarca) – Museu Charlottenborg (Copenhague, Dinamarca)
1989 – El Paso (Estados Unidos) – The Latin American Spirit: art and artists in the United States: 1920-1970, no El Paso Museum of Art
1989 – Liubliana (Iugoslávia – atual Eslovênia) – 18ª Bienal Internacional de Gravura, na Moderna Galerija Ljubljana
1989 – San Juan (Puerto Rico) – The Latin American Spirit: art and artists in the United States, 1920-1970, no Instituto de Cultura Puertorriqueña
1989 – Nova York (Estados Unidos) – Presença da Arte Latino-Americana, no The Bronx Museum of the Arts
1989 – Recife PE – Jogo de Memória
1989 – Rio de Janeiro RJ – Gravura Brasileira: 4 temas, na EAV/Parque Lage
1989 – Rio de Janeiro RJ – Jogo de Memória, na Montesanti Galleria
1989 – San Diego (Estados Unidos) – The Latin American Spirit: art and artists in the United States: 1920-1970, no San Diego Museum of Art
1989 – San Juan (Porto Rico) – The Latin American Spirit: art and artists in the United States: 1920-1970, no Instituto de Cultura Puertorriqueña
1989 – São Paulo SP – 20ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1989 – São Paulo SP – Jogo de Memória, na Galeria Montesanti Roesler
1990 – Chicago (Estados Unidos) – Brazil: crossroads of modern art, na Randolph Gallery
1990 – Chicago (Estados Unidos) – Expressões Singulares da Arte Brasileira, no Chicago Cultural Center
1990 – Curitiba PR – 9ª Mostra da Gravura Cidade de Curitiba, no Museu da Gravura
1990 – Miami (Estados Unidos) – The Latin American Spirit: art and artists in the United States, 1920-1970, no Center for the Fine Arts Miami Art Museum of Date
1991 – Belo Horizonte MG – Dois Retratos da Arte, no MAP
1991 – Brasília DF – Dois Retratos da Arte, no Museu Histórico e Diplomático – Palácio Itamaraty
1991 – Curitiba PR – Dois Retratos da Arte, na Fundação Cultural de Curitiba. Solar do Barão
1991 – Curitiba PR – Museu Municipal de Arte: acervo, no Museu Municipal de Arte
1991 – Porto Alegre RS – Dois Retratos da Arte, no Margs
1991 – Recife PE – Dois Retratos da Arte, no Museu do Estado de Pernambuco
1991 – Rio de Janeiro RJ – Dois Retratos da Arte, no MAM/RJ
1991 – Salvador BA – Dois Retratos da Arte, no Museu de Arte da Bahia
1991 – Santos SP – 3ª Bienal Nacional de Santos, no Centro de Cultura Patrícia Galvão
1991 – São Paulo SP – Dois Retratos da Arte, no MAC/USP
1991 – São Paulo SP – O Que Faz Você Agora Geração 60?: jovem arte contemporânea dos anos 60 revisitada, no MAC/USP
1991 – São Paulo SP – Registros e Impressões: artistas seminais, na Casa das Rosas
1992 – Americana SP – Mostra de Reinauguração do Museu de Arte Contemporânea de Americana, no MAC/Americana
1992 – Curitiba PR – 10ª Mostra da Gravura Cidade de Curitiba/Mostra América, no Museu da Gravura
1992 – Rio de Janeiro RJ – Gravura de Arte no Brasil: proposta para um mapeamento, no CCBB
1992 – São Paulo SP – O Olhar de Sérgio sobre a Arte Brasileira: desenhos e pinturas, na Biblioteca Municipal Mário de Andrade
1993 – João Pessoa PB – Xilogravura: do cordel à galeria, na Fundação Espaço Cultural da Paraíba
1993 – Rio de Janeiro RJ – Emblemas do Corpo: o nu na arte moderna brasileira, no CCBB
1993 – São Paulo SP – O Desenho Moderno no Brasil: Coleção Gilberto Chateaubriand, na Galeria de Arte do Sesi
1993 – São Paulo SP – Obras para Ilustração do Suplemento Literário: 1956-1967, no MAM/SP
1994 – Poços de Caldas MG – Coleção Unibanco: exposição comemorativa dos 70 anos do Unibanco, na Casa de Cultura de Poços de Caldas
1994 – Rio de Janeiro RJ – O Desenho Moderno no Brasil: Coleção Gilberto Chateaubriand, no MAM/RJ
1994 – São Paulo SP – Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal
1994 – São Paulo SP – Gravuras: sutilezas e mistérios, técnicas de impressão, na Pinacoteca do Estado
1994 – São Paulo SP – Poética da Resistência: aspectos da gravura brasileira, na Galeria de Arte do Sesi
1994 – São Paulo SP – Xilogravura: do cordel à galeria, no Metrô
1995 – Rio de Janeiro RJ – Coleção Unibanco: exposição comemorativa dos 70 anos do Unibanco, no MAM/RJ
1995 – São Paulo SP – Atelier Calcográfico Iole 15 Anos, no Sesc Pompéia
1995 – São Paulo SP – Três Mestres da Gravura em Metal: Darel, Grassmann, Gruber, no Museu Banespa
1996 – São Paulo SP – Ex Libris/Home Page, no Paço das Artes
1996 – São Paulo SP – Figura e Paisagem no Acervo do MAM: homenagem a Volpi, no MAM/SP
1997 – São Paulo SP – Figuras e Bichos, no Museu de Zoologia da USP
1998 – Campinas SP – A Grande Arte da Gravura, na Galeria Croqui
1998 – São Paulo SP – O Moderno e o Contemporâneo na Arte Brasileira: Coleção Gilberto Chateaubriand – MAM/RJ, no Masp
1998 – São Paulo SP – Os Colecionadores – Guita e José Mindlin: matrizes e gravuras, na Galeria de Arte do Sesi
1999 – Niterói RJ – Mostra Rio Gravura. Acervo Banerj, no Museu do Ingá
1999 – Porto Alegre RS – Garagem de Arte: mostra inaugural, na Garagem de Arte
1999 – Rio de Janeiro RJ – Mostra Rio Gravura. Gravura Moderna Brasileira: acervo Museu Nacional de Belas Artes, no MNBA
1999 – Rio de Janeiro RJ – Literatura Brasileira e Gravura, na ABL
1999 – Rio de Janeiro RJ – Mostra Rio Gravura. Literatura Brasileira e Gravura, na ABL
1999 – Rio de Janeiro RJ – Mostra Rio Gravura: Marcelo Grassmann, no Espaço Cultural dos Correios
1999 – São Paulo SP – A Ressacralização da Arte, no Sesc Pompéia
2000 – São Paulo SP – Investigações. A Gravura Brasileira, no Itaú Cultural
2000 – São Paulo SP – O Papel da Arte, na Galeria de Arte do Sesi
2000 – Valência (Espanha) – De la Antropofagia a Brasilía: Brasil 1920-1950, no IVAM. Centre Julio Gonzáles
2001 – Brasília DF – Investigações. A Gravura Brasileira, na Galeria Itaú Cultural
2001 – Penápolis SP – Investigações. A Gravura Brasileira, na Galeria Itaú Cultural
2001 – Porto Alegre RS – Coleção Liba e Rubem Knijnik: arte brasileira contemporânea, no Margs
2001 – Rio de Janeiro RJ – Aquarela Brasileira, no Centro Cultural Light
2001 – São Paulo SP – Figuras e Faces, na A Galeria
2001 – Uberlândia MG – Gravuras Brasileiras do Acervo do MUnA: anos 60, 70 e 80, no MUnA
2002 – Passo Fundo RS – Gravuras: Coleção Paulo Dalacorte, no Museu de Artes Visuais Ruth Schneider
2002 – Porto Alegre RS – Desenhos, Gravuras, Esculturas e Aquarelas, na Garagem de Arte
2002 – Porto Alegre RS – Gravuras: Coleção Paulo Dalacorte, no Museu do Trabalho
2002 – Rio de Janeiro RJ – Caminhos do Contemporâneo 1952-2002, no Paço Imperial
2002 – São Paulo SP – Da Antropofagia a Brasília: Brasil 1920-1950, no MAB/Faap
2002 – São Paulo SP – Modernismo: da Semana de 22 à seção de arte de Sérgio Milliet, no CCSP
2003 – Rio de Janeiro RJ – Tesouros da Caixa: arte moderna brasileira no acervo da Caixa, no Conjunto Cultural da Caixa
2003 – São Paulo SP – Arte e Sociedade: uma relação polêmica, no Itaú Cultural
2003 – São Paulo SP – Entre Aberto, na Gravura Brasileira
2004 – São Paulo SP – Gabinete de Papel, no CCSP
2004 – São Paulo SP – Novas Aquisições: 1995 – 2003, no MAB/Faap

Fonte: Itaú Cultural