motoactv coupon Nest Thermostat Discount Fitbit Coupon Bose Soundlink Coupon jawbone coupon Medialink wireless N router cheap roku 2 xs Bowflex Selecttech 552 discount p90x cheap bowflex selecttech 552 best price cleaning microfiber cleaning

Judith Lauand

OBRAS DA ARTISTA

 

Judith Lauand 100138

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BIOGRAFIA

 

Judith LauandJudith Lauand (Pontal SP 1922)

Pintora e gravadora.

 

Em 1950, forma-se na Escola de Belas-Artes de Araraquara, São Paulo, onde aprende pintura com Mario Ybarra de Almeida e Domenico Lazzarini. Dois anos depois, muda-se para São Paulo e estuda gravura com Lívio Abramo. Trabalha como monitora na 2ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1954, e entra em contato com a pintura concreta de Alexandre Wollner e Geraldo de Barros. Nesse ano, realiza sua primeira individual, na Galeria Ambiente, em São Paulo. Em 1955 é convidada por Waldemar Cordeiro a unir-se ao Grupo Ruptura, sendo até o fim do grupo a única mulher integrante. Participa da Exposição Nacional de Arte Concreta, realizada, em 1956, no Museu de Arte Moderna de São Paulo – MAM/SP e, em 1957, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – MAM/RJ. Integra a mostra Konkrete Kunst, em Zurique, em 1960. Em 1963, expõe na inauguração da Galeria NT – Novas Tendências, em São Paulo, da qual é fundadora, com Hermelindo Fiaminghi e Luiz Sacilotto. Recebe o Prêmio Leirner de Arte Contemporânea em 1958. Em 1996, o Escritório de Arte Sylvio Nery da Fonseca, em São Paulo, dedica-lhe uma exposição retrospectiva, focalizando em particular sua obra dos anos 1950.

PRÊMIOS

1964 – 13° Salão Paulista de Arte Moderna – Prêmio Aquisição
1959 – 8° Salão Paulista de Arte Moderna – Prêmio Aquisição
1958 – 7° Salão Paulista de Arte Moderna – Prêmio Aquisição
1955 – 4° Salão Paulista de Arte Moderna – Pequena Medalha de Prata
1954 – 3° Salão Paulista de Arte Moderna – Grande Medalha de Bronze
1953 – 16° Salão de Belas Artes de Araraquara – Prêmio Cidade de Araraquara
1952 – 15° Salão de Belas Artes de Araraquara – Primeiro Lugar
1945 – 9° Salão de Belas Artes de Araraquara – Prêmio Estímulo de Desenho

 

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

1954 – São Paulo SP – Primeira individual, na Galeria Ambiente
1962 – Campinas SP – Individual, na Galeria Aremar
1965 – São Paulo SP – Individual, na Galeria Novas Tendências
1971 – São Paulo SP – Individual, na Galeria da Aliança Francesa
1977 – São Paulo SP – Individual, no MAC/USP
1984 – São Paulo SP – Geometria 84, na Paulo Figueiredo Galeria de Arte
1986 – São Paulo SP – Individual, na Choice Galeria de Arte
1992 – São Paulo SP – Efemérides, no MAC/USP
1994 – Pontal SP – Individual, na Casa da Cultura Manoel de Vasconcelos Martins
1996 – São Paulo SP – Judith Lauand: obras de 1954-1960, no Sylvio Nery da Fonseca Escritório de Arte

 

EXPOSIÇÕES COLETIVAS

1952 – São Paulo SP – 2º Salão Paulista de Arte Moderna
1952 – São Paulo SP – Jovens Pintores da Escola de Belas Artes de Araraquara, no MAM/SP
1954 – São Paulo SP – 3º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia – medalha de bronze
1955 – Rio de Janeiro RJ – 4º Salão Nacional de Arte Moderna
1955 – São Paulo SP – 3ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão das Nações
1955 – São Paulo SP – 4º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia – pequena medalha de prata
1956 – São Paulo SP – 1ª Exposição Nacional de Arte Concreta, no MAM/SP
1956 – São Paulo SP – 5º Salão Paulista de Arte Moderna
1956 – São Paulo SP – Coletiva, no MAC/USP
1957 – Rio de Janeiro RJ – 1ª Exposição Nacional de Arte Concreta, no MAM/RJ
1957 – Rio de Janeiro RJ – 7º Salão Nacional de Arte Moderna
1958 – São Paulo SP – 7º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia – prêmio aquisição
1959 – Leverkusen (Alemanha) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1959 – Munique (Alemanha) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa, na Kunsthaus
1959 – Haia (Holanda) – Arte Brasileira Atual, organizada pelo Itamaraty
1959 – São Paulo SP – 8º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia – prêmio aquisição
1959 – São Paulo SP – Seis Concretistas, na Galeria de Arte da Folha
1959 – Viena (Áustria) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1960 – Hamburgo (Alemanha) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1960 – Lisboa (Portugal) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1960 – Madri (Espanha) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1960 – Paris (França) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1960 – Rio de Janeiro RJ – Exposição de Arte Concreta, no MAM/RJ
1960 – São Paulo SP – 9º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia
1960 – São Paulo SP – Contribuição da Mulher às Artes Plásticas no País, no MAM/SP
1960 – São Paulo SP – Prêmio Leirner de Arte Contemporânea, na Galeria de Arte das Folhas
1960 – Utrecht (Holanda) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1960 – Zurique (Suíça) – Konkrete Kunst, na Helmhaus
1961 – São Paulo SP – 10º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia
1962 – São Paulo SP – 11º Salão Paulista de Arte Moderna
1963 – São Paulo SP – 12º Salão Paulista de Arte Moderna
1963 – São Paulo SP – 7ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1963 – São Paulo SP – Galeria Novas Tendências: coletiva inaugural, na Associação de Artes Visuais Novas Tendências
1964 – São Paulo SP – 13º Salão Paulista de Arte Moderna – prêmio aquisição
1965 – São Paulo SP – 14º Salão Paulista de Arte Moderna
1965 – São Paulo SP – 8ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1965 – São Paulo SP – Proposta 65, na Faap
1966 – São Paulo SP – 15º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia
1966 – São Paulo SP – Três Premissas, no MAB/Faap
1967 – Brasília DF – 4º Salão de Arte Moderna do Distrito Federal, no Teatro Nacional Cláudio Santoro
1967 – Campinas SP – 3º Salão de Arte Contemporânea de Campinas, no MACC
1967 – São Paulo SP – 16º Salão Paulista de Arte Moderna
1967 – São Paulo SP – 9ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1968 – São Paulo SP – 17º Salão Paulista de Arte Moderna
1968 – São Paulo SP – Os Concretistas, no MAM/SP
1969 – São Paulo SP – 10ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1969 – São Paulo SP – 1º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1972 – São Paulo SP – 2ª Exposição Internacional de Gravura, no MAM/SP
1972 – São Paulo SP – Mostra Internacional de Gravura, no Masp
1977 – Rio de Janeiro RJ – Projeto Construtivo Brasileiro na Arte: 1950-1962, no MAM/RJ
1977 – São Paulo SP – Projeto Construtivo Brasileiro na Arte: 1950-1962, na Pinacoteca do Estado
1978 – São Paulo SP – As Bienais e a Abstração: a década de 50, no Museu Lasar Segall
1978 – São Paulo SP – O Objeto na Arte: Brasil anos 60, no MAB/Faap
1985 – Belo Horizonte MG – Geometria Hoje, no MAP
1987 – Rio de Janeiro RJ – 1ª Abstração Geométrica: concretismo e neoconcretismo, na Funarte
1987 – São Paulo SP – 1ª Abstração Geométrica: concretismo e neoconcretismo, no MAB/Faap
1987 – São Paulo SP – A Trama do Gosto: um outro olhar sobre o cotidiano, na Fundação Bienal
1987 – São Paulo SP – Projeto Arte Brasileira – Anos 50, na Faap
1994 – São Paulo SP – Bandeiras: 60 artistas homenageiam os 60 anos da USP, no MAC/USP
1994 – São Paulo SP – Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal
1996 – Rio de Janeiro RJ – Tendências Construtivas no Acervo do MAC/USP: construção, medida e proporção, no CCBB
1996 – São Paulo SP – Arte Brasileira – 50 anos de história no acervo MAC/USP: 1920-1970, no MAC/USP
1996 – São Paulo SP – Bandeiras, na Galeria de Arte do Sesi
1996 – São Paulo SP – Desexp(l)os(ign)ição, na Casa das Rosas
1997 – Porto Alegre RS – 1ª Bienal de Artes Visuais do Mercosul, na Aplub; Casa de Cultura Mário Quintana; DC Navegantes; Edel; Usina do Gasômetro; Instituto de Artes da UFRGS; Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul; Margs; Espaço Ulbra; Museu de Comunicação Social; Reitoria da UFRGS; Theatro São Pedro
1997 – Porto Alegre RS – Vertente Construtiva e Design, no Espaço Cultural Ulbra
1998 – Belo Horizonte MG – O Suporte da Palavra, no Itaú Cultural
1998 – São Paulo SP – Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner , no MAM/SP
1998 – São Paulo SP – O Suporte da Palavra, no MAM/SP
1999 – Rio de Janeiro RJ – Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner, no MAM/RJ
1999 – São Paulo SP – Década de 50 e seus Envolvimentos, na Jo Slaviero Galeria de Arte
2000 – Mouans-Sartoux (França) – L’Espace de l’Art Concret, no Chateau de Mouans-Sartoux
2001 – São Paulo SP – Trajetória da Luz na Arte Brasileira, no Itaú Cultural
2002 – Rio de Janeiro RJ – Caminhos do Contemporâneo 1952-2002, no Paço Imperial
2002 – Rio de Janeiro RJ – Paralelos: arte brasileira da segunda metade do século XX em contexto, Collección Cisneros, no MAM/RJ
2002 – São Paulo SP – Paralelos: arte brasileira da segunda metade do século XX em contexto, Colección Cisneros, no MAM/SP
2003 – Cidade do México (México) – Cuasi Corpus: arte concreto y neoconcreto de Brasil: una selección del acervo del Museo de Arte Moderna de São Paulo y la Colección Adolpho Leirner, no Museo Rufino Tamayo
2003 – Rio de Janeiro RJ – Ordem x Liberdade, no MAM/RJ
2004 – São Paulo SP – Versão Brasileira, na Galeria Brito Cimino

 

Fonte: Itaú Cultural